E esta, hein?

Friday, January 20, 2006

Estados Unidos recusam-se a "negociar com terroristas"

Hoje surgiu a notícia de mais uma mensagem de Osama Bin Laden, difundida pela estação Al-Jazira. Bin Laden propõe uma "trégua de longa duração", ao mesmo tempo que ameaça o povo americano de mais atentados. Os Estados Unidos, atravé de George Bush, respondem que não negoceiam com terroristas, que os destroem! Esta notícia só me dá vontade de rir!!
Nos últimos 5 anos temos assistido à morte de muitos inocentes, e não me digam que são apenas os americanos os inocentes, porque os mortos do Afeganistão e do Iraque, nomeadamente crianças, são tão vítimas como as do 11 de Setembro!!
Esta troca de galhardetes mais me parece política mas, infelizmente, com consequências bem severas, nomeadamente a guerra, onde ninguém é vencedor!
George Bush não é nenhum inocente, com convicções patrióticas!! A sua resposta ao "mestre dos terroristas" é tão má como as declarações do muçulmano! Não querendo parecer radical, estamos perante os 2 grandes terroristas do século XXI, Osama Bin Laden e George W. Bush! E ambos são culpados por esta "Guerra Santa" a que temos assistido com horror! Por mim, enfiam-se os 2 numa ilha deserta, onde possam resolver as suas querelas sem magoar terceiros!
Boa ideia, hein?

Friday, January 13, 2006

Recomenda-se!

Sendo eu amante de leitura, as minhas viagens de transportes públicos são sempre acompanhadas por um livro. Após muitos livros começamos a tornar-nos mais exigentes. O meu percurso no mundo da leitura efectua-se com uma divisão: antes de Dan Brown e depois de Dan Brown. Após muitos "romances lamechas", livros frívolos da Margarida Rebelo Pinto, elegi como favoritos os romances históricos. Isto porque podemos embrenhar-nos numa história fantástica e aprender muito sobre um sítio, uma lenda, um mito, etc. Ora, sendo os romances históricos o meu género favorito, Dan Brown veio dar um contributo fundamental à minha leitura (atenção, o nosso Eça de Queirós continua a ser o "mestre" que venero!).
Após o Código DaVinci, a fasquia ficou alta para todos os escritores do género. E depois deste sucesso, assistimos a uma gigantesca promoção comercial a todos os livros do género como "Imprimatur", "A Regra de Quatro", "O Segredo do Cálice", entre outros. Mas todos ficaram muito aquém das expectativas, revelando-se demasiado maçudos, e até mesmo aborrecidos.
Recentemente, foi a vez de um ilustre jornalista português, José Rodrigues dos Santos, se lançar no género com "O Codex 632". Tendo eu grande admiração por este senhor, tive grande vontade de lêr o seu romance. Pois é, estou a lê-lo há uma semana e, encontrando-me na recta final da trama, sinto-me mais próxima da história portuguesa, da história da minha terra, Tomar. Este livro, um pouco ao estilo Dan Brown, retrata a investigação, por parte de um professor de história da Universidade Nova de Lisboa, em torno das origens de Cristovão Colombo. A jornada do professor leva-o as origens do país, às tramas das cortes, revelando a inteligência portuguesa na gestão (que infelizmente perdemos ao longo dos tempos.
Enfim, pode ser um livro sem sucesso em terras estrangeiras, mas muito patriótico!!

Thursday, January 12, 2006

2006 em grande!!

Para mim 2006 será um ano inesquecível!
Nem vos digo, casar é uma trabalheira, e um grande negócio. Na semana passada, de visita à ExpoNoivos, tomei consciência de que casar é uma máquina de fazer dinheiro para muitas entidades, sejam elas quintas, fotógrafos, floristas, lojas de noivas e até pessoas que se dedicam apenas a fazer bonecos para os bolos de noiva à vontade do freguês (podem ir até aos 100 euros!!). É claro que, apesar de todo o dinheiro investido, milhares de coisas a tratar, inúmeros telefonemas, o nosso sonho é que corra tudo bem. A diferença está em correr tudo bem ou termos a paranóia da perfeiçaõ, porque caso tenhamos a última, além de gastarmos rios de dinheiro, a lua-de-mel é no Júlio de Matos. Não temos qualquer intenção que tal aconteça. O importante é ter todos os nossos amigos e família juntos, que todos se divirtam, comam e bebam, porque para nós os dois será sempre inesquecível, independentemente de ser perfeito ou não. Não há comparações com outros porque é o nosso casamento!!
Agora resta a ansiedade, que já dá sinais, e muita organização para fugir à correria e stress do último mês.
Queremos unir o nosso destino e isso é mais importante que qulaquer fotógrafo, quinta ou vestido. E depois é só descansar durante 2 semanas:Maldives here we go!!!

Madrid

Este ano, o fim de ano foi em Madrid, cidade que eu não conhecia! Eu e meu mais que tudo passámos 4 dias na capital espanhola! E que capital. Madrid fica na minha memória como uma cidade enorme, cheia de luz, de cor, de animação, de barulho!!! As inúmeras lojas a preços bem acessíveis são uma constante tentação, pelo menos para mim foi.
Mas também toda a arte ao ar livre é fantástica. A estação de comboios da Atocha é espectacular, parece que entramos em plena Amazónia, tal é o clima tropical e as inúmeras arvóres. Também o Dom Quixote nos vigia dó alto da estação. Todo o centro histórico está repleto de igrejas, museus, arcos ... Mas o mais espectacular é a catedral de Almudena e o palácio real! Grandiosos e imponentes, encontram.se lado a lado!
O mais engraçado em Madrid é que dentro da mesma cidade parece que estamos em dois sitios completamente distintos. Se estamos no centro histórico da cidade, Plaza de Espanha, Gran Via, Plaza Mayor, Puerta del Sol, sentimo-nos no meio de um qualquer reinado medieval, repleto de monumentos. Se percorrermos o Paseo de la Castelhana, entramos numa verdadeira Manhattan europeia, com a torre Picasso e todos os arranha-céus! E claro, passando pelo Santiago Barnabéu, que nem se compara aos nossos estádios (os nossos são muito mais bonitos!!).
é de lamentar a falta de educação e brutidade dos madrilenos, que derrubam udo por onde passam, incluindo pessoas!!
Madri é uma capital muito cosmopolita, com todas as raças do planeta!
Uma breve referência a Toledo, cidade medieval vizinha de Madrid e cidade histórica muito importante na Idade Média!

Mais uma quadra festiva

Pois é, já passou mais um Natal, e também mais um ano chegou ao fim. Andamos todos a recuperar da azáfama da quadra natalícia e sobretudo dos quilitos a mais, ganhos à conta da gastronomia típica da época.
No final fica uma sensação de vazio. Porquê? Fica a nostalgia daqueles que não pudemos vêr, daqueles que já não estão connosco ou dos que já não querem estar connosco. E depois pensamos que agora só voltaremos a encontrar-nos com os que amamos e só vemos nesta época, daqui a algumas semanas ou até mesmo meses. Isto de termos a familia longe e de um casal se ter de multiplicar por todos os familiares é cansativo, mas sabe a pouco pois não chega para matar saudades de todos! Para mim, existem momentos tristes nesta época pois recordo.me de como era noutros tempos e que agora faltam pessoas neste círculo fechado, mas não pelas melhores razões!
Além disso ficamos sempre mais pobres!
São sentimentos contraditórios. Tentamos acalmar a consciencia através de uma visita a correr e um modesto presente, de forma a demonstrar o nosso amor, caimos no brutal consumismo da quadra e depois voltamos à rotina!
Mesmo assim, vamos cultivando o espírito e até acontecem pequenos milagres, andamos mais sensíveis e chegamos mesmo a ajudar o próximo, a disfrutar do amor da nossa família e, apesar de nem tudo ser como nos contos de Natal, temos uma família que nos ama, uma mesa com comida e muito calor humano!! Afinal de contas, não é isso que dá sentido à vida?